DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS

cabecalho-dezembro

DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS

 

imagem1221No dia 1º de dezembro, comemora-se o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. É chamada AIDS a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, caracterizada por doenças desencadeadas a partir de infecções oportunistas, que acometem predominantemente indivíduos em estágio de importante imunossupressão. É, portanto, a consequência mais temida advinda da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana, o HIV.

Este dia serve para alertar a população que o HIV continua circulando como epidemia global, e é preciso manter a cautela necessária para evitar a transmissão. As principais maneiras de se contrair o vírus são por contato sexual desprotegido, compartilhamento de agulhas de drogas injetáveis e transmissão materna ao bebê. Apesar de inúmeras campanhas, os novos casos continuam aumentando no Brasil. As novas infecções por HIV cresceram 4% em território brasileiro de 2010 a 2015, representando 40% de todos os casos novos na América Latina e Caribe.

Como se não bastasse o número crescente de casos novos, ainda é assustadora a quantidade de pessoas já infectadas que não possuem diagnóstico ou tratamento médico adequado para controle do vírus. Atualmente há cerca de 37 milhões de pessoas ao redor do mundo com diagnóstico de HIV, mas somente 17 milhões delas estão recebendo terapia antirretroviral.

No entanto, há ainda a esperança de virar esse cenário para favorável nas próximas décadas. No começo de 2016, iniciou-se a nova empreitada do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) para perseguir metas a serem atingidas pelos países endêmicos, incluindo o Brasil, até 2020, através de uma estratégia chamada 90-90-90. Até 2020, deseja-se que: 90% das pessoas que possuem o vírus HIV saibam do diagnóstico; 90% das pessoas diagnosticadas recebam terapia antirretroviral contínua; 90% das pessoas recebendo terapia antirretroviral obtenham a supressão do vírus.

Se as metas do UNAIDS forem atingidas, espera-se que a epidemia global do HIV seja suprimida até 2030. Em paralelo a isso, estudos em busca de cura e vacina contra o vírus continuam em andamento na esperança de resultados favoráveis. Embora ainda não exista cura efetiva para o HIV, com cuidados médicos adequados pode-se controlá-lo e impedi-lo de provocar consequências destrutivas advindas da imunossupressão. Por isso, neste dia 1º de dezembro, espalhe a palavra do combate ao HIV. O mundo todo se reúne para vencer esta luta!

Dr. Fábio Tabalipa

CRM-SC 20073

Médico da Equipe de Atenção Integral à Saúde

 

REFERÊNCIAS

CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION (CDC). Basic Statistics. Disponível em: <http://www.cdc.gov/hiv/basics/statistics.html>.

NATIONAL HIV/AIDS COMMISSION. Red ribbon. Disponível em: <http://www.nhacbb.org/images/Red_Ribbon.jpg>.

UNAIDS BRASIL. Relatórios e Publicações. Disponível em: <http://unaids.org.br/relatorios-e-publicacoes>.